Programas Políticos: Mobilidade – JF do Parque das Nações

800px-Gare_do_Oriente_-_Calatrava

A Cicloficina do Oriente compilou a informação contida nos programas das candidaturas à recém-criada Junta de Freguesia do Parque das Nações, na área de mobilidade e acessibilidades. Encontrámos informação em todas as candidaturas.

O foco dos programas varia muito, entre aqueles que propõem um conjunto alargado de medidas de promoção de formas de mobilidade sustentáveis (incluindo a bicicleta), e outros que privilegiam claramente o automóvel, mesmo quando isso implica mais degradação do usufruto do espaço público pelas pessoas.

BE – Bloco de Esquerda

Na área da Mobilidade e Transportes, na nossa freguesia queremos a optimização do número de autocarros que servem a freguesia, diminuindo tempo de espera e prolongando horários em certos períodos/eventos. Corredores para bicicletas, em especial nas artérias perpendiculares ao rio, para permitir o acesso dos moradores às zonas ribeirinhas, em segurança, diminuindo o impacto do uso do automóvel, e contribuindo para a ampliação da rede de ciclovias e programa de bicicletas partilhadas na autarquia.

Fonte: Notícias do Parque

PNPN – Parque das Nações Por Nós

A nossa Visão

O conceito de mobilidade sustentável pressupõe que os cidadãos disponham de condições e escolhas de acessibilidade e mobilidade que lhes proporcionem deslocações seguras, confortáveis, com tempos aceitáveis e custos acessíveis. Implica,  ainda, que a sua mobilidade se exerça com eficiência energética e reduzidos impactos ambientais.

Dispondo o Parque das Nações de 6km de zona ribeirinha, é importante promover a  “Libertação da Via da Água” através da facilitação do acesso público ao estuário e da dinamização do transporte regular e não regular entre os diferentes locais ribeirinhos, com o Parque das Nações como porto de escala de “Lisboa a oriente”. O objetivo é permitir aos moradores, empresas e visitantes a escolha da Via da Água, em alternativa à Via Terrestre, sempre que essa for a solução mais adequada no seu programa de transporte na Cidade ou entre margens.

No que respeita à mobilidade suave, existe hoje em dia um consenso ao nível dos países desenvolvidos sobre a importância da mobilidade em bicicleta e pedonal. As cidades e bairros com maiores índices de desenvolvimento comercial, imobiliário, turístico, empresarial, segurança, saúde e fortes relações comunitárias são aqueles que adotaram estratégias de devolução do espaço público às pessoas.

A implementação de políticas que visem estes objetivos pressupõe a aplicação quer de novos e harmonizados conceitos, instrumentos e técnicas, quer também, a passagem do discurso à ação no terreno. Mas acima de tudo é imperativo conquistar a sociedade civil para uma nova cultura de mobilidade. Este desafio pressupõe uma profunda alteração comportamental a nível do cidadão individual, de grupos de cidadãos, de empresas, instituições e a adesão coletiva a propostas e políticas em favor de uma mobilidade sustentável.

No âmbito da Segurança, o policiamento geral e particularmente o de proximidade é, efetivamente fundamental para garantir a tranquilidade, confiança e a segurança urbana, pelo que o papel da PSP e da GNR é preponderante. Apesar de as polícias estarem sob tutela do Governo Central, é possível, ao nível de uma junta de freguesia, encontrar fórmulas de parceria que vão ao encontro das espectativas das pessoas, muitas vezes através de boas práticas que podem entrar no seu dia-a-dia.

O nosso Compromisso

1. Mobilidade sustentável dos cidadãos

É uma das principais prioridades da nossa política para o Parque das Nações.

Iremos dar ênfase à redução da sinistralidade, à valorização do transporte público, ao condicionamento gradual do trânsito automóvel.

1. Carreira “Voltinhas”: Criaremos uma carreira com veículos elétricos, de marca local, com circuito do extremo da zona norte à estação do Oriente; do extremo da Zona Sul à estação do Oriente e da zona poente à estação do Oriente, em circulação contínua. Custos sustentados por publicidade de empresas locais, colocada no exterior dos veículos.

2. Passagens de peões: Estudaremos com a Câmara Municipal de Lisboa a visibilidade e segurança das passagens de peões, e solicitaremos a instalação de iluminação específica e de placas de sinalização, com a instalação de delineadores LED.

3. Semáforos controlo velocidade: Prosseguiremos com a instalação de semáforos, visando o controlo do excesso de velocidade e a facilitação do atravessamento de peões, interligando o sistema na rede geral de semáforos da cidade de Lisboa.

4. Rotundas Av. D. João II: Proporemos a remodelação das atuais rotundas da Av. D. João II” tornando-as mais fluentes e menos perigosas.

5. Intermodalidade: Facilitaremos a intermodalidade entre os diversos meios de transporte públicos e privados, nomeadamente, entre os parques de estacionamento periféricos à freguesia, que devem ser gratuitos e assim diminuir a quantidade de viaturas a circular.

6. Abrigos para passageiros: Alargaremos a rede de abrigos de passageiros, e resolveremos os problemas das poças de água, de forma a melhorar o conforto dos utentes dos transportes públicos, incentivando a sua utilização.

7. Requalificação de ruas e avenidas: Proporemos à Câmara Municipal de Lisboa a requalificação de ruas e avenidas problemáticas, de forma a eliminar acidentes, pela introdução de medidas de acalmia do tráfego, designadamente, através da construção de novos, passeios, de novas passadeiras e da instalação de semáforos.

8. Painéis informativos eletrónicos: Instalaremos painéis informativos eletrónicos nos principais acessos ao Parque das Nações para que aqueles que nos visitam se sintam bem recebidos.

9. Pessoas com mobilidade reduzida: Proporemos a supressão de barreiras que existem na circulação das pessoas com mobilidade reduzida, nos edifícios e espaços públicos.

10. Estacionamentos para residentes: Negociaremos com a Câmara Municipal de Lisboa / EMEL soluções especiais de gestão dos estacionamentos para todas as zonas residenciais – Norte / Sul e Poente.

11. Carreiras Carris: Estudaremos com a Carris a criação e ou alteração das atuais carreiras de modo a servirem as principais artérias.

12. Rede pública Mobi.e: Preservaremos e manteremos a sinalização adequada em todos os Postos de carregamento de veículos elétricos, já instalados, dando plena visibilidade a esta mais-valia para a Freguesia.

13. Freguesias vizinhas: Estudaremos os acessos às freguesias vizinhas no sentido de melhorar os acessos das vias sobre a sua responsabilidade, ao Parque das Nações.

2. Mobilidade em Bicicleta no Parque das Nações

Trabalharemos em parceria com a Câmara Municipal de Lisboa para a criação de um plano integrado de intervenção para a Mobilidade em bicicleta no Parque das Nações, ao nível de:

1. Ciclovias:

• Completar, corrigir e melhorar a Rede Ciclável, através de Vias Partilhadas e Ciclovias;

• Resolver o problema da circulação de bicicletas em locais não adaptados, e perigosos para peões, reencaminhando as bicicletas para canais adequados ou limitando a sua velocidade.

2. Estacionamento para bicicletas: Instalar uma rede de estacionamento segura para bicicletas, com prioridade para a Gare do Oriente para que o modo “bicicleta + transporte” público se torne rapidamente viável para residentes e trabalhadores.

3. Rede de bicicletas partilhadas: Estudar a possibilidade de implementação de uma rede de Bicicletas Partilhadas no Parque das Nações, seguindo exemplos de sucesso em todo o mundo.

4. Formação:

• Promover ações de formação comportamental sobre a utilização da bicicleta em meio urbano (em particular no Parque das Nações) para adultos e crianças;

• Fazer campanhas de informação/sensibilização sobre a utilização da bicicleta no Parque das Nações.

5. Apoio a iniciativas comunitárias: Catalisar a promoção da mobilidade suave e sustentável através do apoio a iniciativas comunitárias (Cicloficina do Oriente, passeios em bicicleta e outras) e procurar incluir o Parque das Nações em iniciativas de demonstração nacionais e europeias.

3. Estacionamentos

Faremos um estudo exaustivo sobre a atual oferta de estacionamentos e sua localização face às necessidades. O objetivo é criar uma resposta adequada sem prejudicar o tráfego pedonal e/ou espaços verdes.

4. Transporte fluvial não regular

Apoiaremos as entidades que lutam pela “Libertação da Via da Água”, promovendo um regime de Transporte fluvial não regular que proporcione opções de transporte ocasional, como sejam, os Táxis Marítimos, suportados em Lanchas ou nas Embarcações Típicas do Tejo (as gôndolas do nosso estuário) no contexto de uma atividade de inegável interesse turístico. Nesse sentido, a dotação estratégica ou melhoria de algumas rampas de acesso, como é o caso da Rampa do Trancão, o estabelecimento, melhoria e simplificação dos locais de acostagem, são exemplos de intervenções que contribuem para facilitar a ligação entre a Via Terrestre e a Via da Água, e que serão fundamentais para a dinamização de atividades de lazer de transporte, de turismo e, por outro lado, potenciadoras da Economia do Mar.

CDU – Coligação Democrática Unitária

Segurança, mobilidade e ambiente:

1. Articulação com a PSP, identificando as necessidades de intervenção para um policiamento de proximidade;

2. Garantir a intervenção eficaz e atempada nas áreas sob jurisdição municipal, nomeadamente a manutenção dos grandes Espaços Verdes, dos principais eixos viários e da iluminação pública;

3. Estudar com a Carris, a criação de uma carreira circular que percorra toda a Freguesia.

Quinta das Laranjeiras, Casal dos Machados, Bairro do Oriente, Estrada de Moscavide, Rua Conselheiro Lopo Vaz

1. Arranjo do acesso pedonal destes bairros à Gare do Oriente;

2. Ordenamento do estacionamento que garanta lugar para os moradores.

PSD – Partido Social Democrata

Mobilidade

Efetuámos levantamento das carências de estacionamento e dificuldades de circulação ou de travessias pedonais, de modo a propor soluções, a articular coma vereação municipal da Mobilidade e com a EMEL, que respeitando as devidas regras de segurança, contribuam para facilitar e melhorar a comodidade do tráfego viário.

• Afinar a cadência dos semáforos na Av. D. João II que não foram instalados em simultâneo e reformular o tráfego automóvel na Rotunda da Portela, adaptando apenas um foco semafórico extra.

• Abrir travessia pedonal das pontes suspensas entre o CC Vasco da Gama e a Gare do Oriente, retirando tráfego pedestre da Praça do Oriente.

• Avançar com o projeto de via adicional e estacionamento regulado na zona do Edifício Ecrã (Alameda dos Oceanos e R. Sinais de Fogo) e criar estacionamento em espinha na R. Nova dos Mercadores junto à EBI Parque das Nações.

• Regularização do estacionamento e devida requalificação dos passeios e vias públicas na Rua do Conselheiro Lopo Vaz.

• Defender que os pavimentos devem ser tão lisos e regulares com as ciclovias e colocar como premente, a reparação de buracos, de irregularidades e desníveis na via pública.

• Sugerimos que provisoriamente até à construção do Centro de Saúde, o lote vago seja utilizado como zona de estacionamento afeta à EBI Vasco da Gama permitindo normalizar o tráfego junto à escola em horas de ponta escolar.

• Melhorar a segurança na Alameda dos Oceanos (inicia na Matinha e termina na via do Oriente) acrescentar colocação de passadeiras elevadas para aumentar a segurança dos peões, e assegurar a travessia de crianças junto às escola.

• Facilitar o acesso rodoviário à rua da Centieira a quem circule no sentido ascendente da Av. de Pádua, uma alteração simples e económica que permite poupança de tempo e de combustível.

• Asfaltar o Passeio dos Heróis do Mar, após terminar a obra de construção da Igreja.

• Repor a vedação metálica que separa as faixas de trânsito na rua João Pinto Ribeiro (acesso pela praça José Queirós), vandalizada com o propósito único de atravessar indevidamente a via.

• Substituir lombas ruidosas por sistema de vanguarda que mantém regras de segurança e instalar passadeiras elevadas.

PS – Partido Socialista

(devido à extensão deste programa, colocámos apenas os pontos principais. Os pontos mais detalhados poderão ser encontrados aqui)

Mobilidade, Estacionamento, Transportes e Acessibilidades

A candidatura do PS à Junta de Freguesia do Parque das Nações, terá uma atenção redobrada em relação a estes temas extremamente importantes para o bom funcionamento da Nossa Freguesia;

Nesse sentido, consideramos essencial o seguinte:

A política a desenvolver neste âmbito, é a da procura de “Mais Vida com Menos Carros”, cujo objetivo é procurar melhorar a qualidade do ar, a segurança na passagem de peões e a qualidade do ambiente urbano, sem comprometer as necessidades de desenvolvimento, de forma sustentável, dos diferentes espaços da Freguesia. Pretende-se que algumas ruas passem a funcionar apenas com vias de acesso local e estacionamento, o que poderá permitir uma maior continuidade do espaço pedonal, a redução do número de acidentes e a melhoria da qualidade do ar, através da redução das emissões poluentes. Só assim se poderá dizer que com menos carros e mais pessoas, há mais espaço para todos;

Apostar na “Requalificação, Conservação, Manutenção” das diversas Ruas,

  • Avenidas, Rotundas e Logradouros públicos, da Freguesia, com a finalidade da mobilidade poder desenvolver-se de forma simples e em segurança. (…)

  • Defender a “Conclusão do Desnivelamento” da Av.ª Infante D. Henrique para a Av.ª Marechal Gomes da Costa, de forma a serem melhorados os acessos à Zona Sul do Parque das Nações;

  • Promover a conservação e atualização da “Sinalização Vertical Viária Informativa” (…)

  • Proceder a reformulação e retificação da “Sinalização Vertical Viária”, sempre que necessário, em diversos locais (…)

  • Propor a reordenação da colocação de diversas “Passagens de Peões”, que se encontrem desajustadas, em função das necessidades de circulação e de segurança, dos peões e viaturas, bem como, da sua colocação em áreas onde não existam e sejam necessárias (…)

  • Implementar e impulsionar o projeto os “Verdinhos”, junto das escolas, de forma a ser criada maior segurança no acesso dos alunos, através do patrulhamento das passadeiras com voluntários reformados (Banco de Horas);

  • Defender a colocação de “Sinalização Luminosa”, no solo e na respetiva sinalização vertical, em todas as passagens de peões da Freguesia, de forma a criar uma maior segurança aos peões e também aos automobilistas, nos períodos de menor visibilidade. No caso do período noturno, serão alimentadas através de energia solar;

  • Resolver o “Problema de Estacionamento”, onde a utilização possa ser feita pelos residentes (…)

  • Diligenciar para que o “Projeto de Execução para a Criação de 48 Lugares de Estacionamento”, em Espinha, na Rua Gaivotas do Tejo, junto à Escola JI e EB1 do Parque das Nações, aprovado anteriormente pela Parque Expo, seja construído com a maior celeridade possível pela CML, de forma a facilitar, sobretudo após a construção da 2ª Fase desta Escola, a paragem das viaturas dos pais dos alunos à entrada e à saída das aulas;

  • Defender a colocação de “Semáforos, com Controlo de Velocidade” nas vias de comunicação de maior incidência de circulação viária da Freguesia (…);

  • Proceder à colocação de “Câmaras de Videovigilância junto dos Semáforos”, de forma a garantir o registo e posterior identificação dos veículos, pelas autoridades, que sejam desrespeitadores da sinalização luminosa, funcionando assim como agentes dissuasores pelo não cumprimento da sinalização e, simultaneamente, serem evitados acidentes que, para além dos prejuízos materiais e eventuais consequências físicas que possam resultar, são geradores de transtorno no normal fluxo de trânsito da Freguesia;

  • Proceder ao ajustamento dos “Temporizadores” de tempo dos “Semáforos”, existentes nas diversas áreas da Freguesia, de acordo com os maiores ou menores fluxos de trânsito verificado ao longo do dia, bem como, defender a colocação de mais semáforos em outras zonas, consoante a necessidade da sua colocação. Será uma das prioridades desta candidatura, por forma a serem resolvidos alguns problemas de circulação e de segurança;

  • Proceder à colocação de “Lombas Redutoras de Velocidade” em algumas vias principais de circulação, devido à velocidade praticada por alguns automobilistas, onde não seja viável a colocação “Semáforos, com Controlo de Velocidade”. Este tipo de colocação será defendida por esta Candidatura, nas zonas residenciais, apenas se houver manifesta vontade e interesse dos seus residentes;

  • Limitar a “Velocidade de Circulação de Viaturas nas zonas residenciais a 30 km/h”, no âmbito do programa “Bairros Zona 30” da CML;

  • Proceder à colocação de “Espelhos Convexos” (Esféricos) em Ruas e Cruzamentos, onde a visibilidade, para a circulação de viaturas, seja reduzida, funcionando como que “Espelhos Retrovisores” e assim aumentar a segurança à circulação dos automobilistas;

  • Defender a “Igualdade de Tratamento” em relação aos “Transportes Públicos”, nomeadamente, no que diz respeito a passes, a táxis, ao metro e à carris, bem como, lutar pela “Melhoria” e “Alargamento” do serviço de Transportes Públicos que serve a Nossa Freguesia;

  • Defender a criação de uma “Linha de Transporte Pendular” ao longo do eixo central da Freguesia, constituído pela Alameda dos Oceanos e a Via do Oriente (…)

  • Proceder à “Correção da Localização de Algumas Paragens de Autocarros” (…)

  • Proceder, em relação à Acessibilidade das pessoas que apresentem deficiências ou mobilidade reduzida:

    • À “Harmonização da Mobilidade”, através da adaptação dos passeios, passagens de peões, estacionamentos e demais situações que se constituam barreiras à sua mobilidade, em todas as partes da Freguesia, através da eliminação dos obstáculos e assim proporcionar a sua participação em todas as atividades que incluem o uso de produtos, serviços e informação, ou seja, permitir-lhes o convívio social, no seu ir e vir;

    • À “Adaptação das Escolas e demais Instalações Públicas”, junto das entidades competentes, a com a eliminação dos obstáculos à mobilidade de forma permitir o seu acesso sem barreiras;

  • Defender o “Desenvolvimento de uma Rede Ciclável” de forma segura e cómoda (integrada na Rede de Ciclovias de Lisboa), ligando as áreas fundamentais da Freguesia: zonas residenciais, mistas e serviços, áreas verdes de recreio e lazer, e ainda a frente ribeirinha, com vista à promoção do uso da bicicleta, sobretudo nas deslocações curtas, em detrimento da utilização dos combustíveis fósseis, mediante a utilização dos veículos a motor e, assim, contribuir para a melhoria da qualidade do ambiente, pela redução da poluição e acalmia do trânsito, e da economia;

  • Promover o “Desenvolvimento de Percursos Pedonais”, em paralelo com o desenvolvimento da rede ciclável e sem “conflitos” com esta, de forma segura e cómoda, ligando as áreas fundamentais da Freguesia (zonas residenciais, mistas e serviços, áreas verdes de recreio e lazer e ainda a frente ribeirinha), de forma a incentivar o desenvolvimento de diversas atividades físicas, por exemplo, caminhadas, corridas, entre outras, e desta forma contribuir para a melhoria da qualidade vida das freguesas e fregueses;

  • Defender a manutenção e reparação das “Passagens Aéreas de Peões” (…)

  • Recuperar o “Passeio Marítimo”, sobretudo na frente ribeirinha, correspondente à zona do aterro sanitário e até ao rio Trancão, onde este se apresenta com alguma degradação;

  • Desenvolver ações de apelo ao cumprimento das “Regras Elementares de Circulação e Estacionamento Automóvel”, mediante ações de sensibilização, com o apoio da PSP, e a colocação de sinalização informativa;

  • Articular com as diversas empresas sediadas na Freguesia “Um Meio Alternativo de Transporte” da Estação do Oriente até às empresas, isto porque, em muitos casos, o transporte público é preterido pelo veículo automóvel devido às dificuldades de transporte existentes entre as empresas e a Estação do Oriente ou Metro de Moscavide;

  • Desenvolver uma “Mobilidade Inteligente e Inclusiva”, através da criação de um conjunto de meios de informação estática e eletrónica, relativa a toda a freguesia e, na complementaridade, à da cidade de Lisboa, de forma a facilitar a mobilidade das pessoas, sobretudo daqueles que nos visitam;

  • O “Reforço da Rede de Transportes” é crucial para o reforço da centralidade do Parque das Nações. Para tanto, defendemos as seguintes medidas: (…)

PPM/PPV/PND – Plataforma de Cidadania Lisboa

Acessibilidades:

• Desatar o nó de entrada para a CRIL que obriga a todos no final das tardes a ficarem parados em fila, quando na estrada vinda da Ponte Vasco da Gama não há movimento

• Criar uma saída para o Parque das Nações, para quem vem da CRIL, sem estar sujeito aos congestionamentos de quem vai para a 2ª circular ou A1 norte

• Recalcetamento da Alameda dos Oceanos que se apresenta degradada em quase toda a sua extensão

• Iluminação das zonas das passadeiras, que estão quase sem luz devido às copas das árvores

• Colocação de semáforos na Alameda dos Oceanos, junto ao Vasco da Gama que permitam articular o atravessamento pedonal da via com a circulação de veículos, muito difícil em especial nos dias de grandes eventos no Pavilhão Atlântico

Deixar uma resposta